segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Milão




Saindo de Cremona, calculadas as distâncias  - cerca  de 100 Km -  decidimos dormir em Milão.

Tenho uma apreciação  bem definida sobre esta cidade que já visitei várias  vezes -  é  monumental em termos arquitectónicos, com uma catedral  - Duomo - impressionante na sua imponência.

O trânsito  automóvel  é  absolutamente caótico  pelo que se torna altamente desaconselhável  circular nas suas ruas, também  elas apinhadas de pessoas.
Não  é,  definitivamente, uma cidade onde me apeteça  voltar, embora nos seus arredores, a zona dos lagos seja de uma beleza estonteante - e aí, sim! Apetece repetir a visita uma e muitas vezes.
Posto isto, para pernoitar,  escolhemos um Ibis Styles, nas imediações  da cidade.
Infelizmente, o hotel encontrava-se em obras de remodelação,  ambiente que perturba os meus pobres  neurónios  ... pelo que, desaconselho.

Na manhã  do dia seguinte,  rumámos  a  Génova,  porque, incorrigível,  fiz absoluta questão  de visitar  um outlet que se encontra no caminho.
Trata-se do SERRAVALLE DESIGNER OUTLET, que pode ser visto AQUI!
Aconselho vivamente a que retenham este nome e, se passarem perto, não percam este  um espaço incrível,  quase um aldeamento, servido por gigantesco parque de estacionamento.
É tão popular entre os italianos que, durante o fim de semana,  a autoestrada entope, com gigantesco engarrafamento, de quem pretende entrar.

Pedi ao (santo do) marido 1 hora, 1 mísera  horinha, para , como um foguete, esvoaçar  por entre as lojas.
Cedo conclui que pedira pouco, pedira quase nada. Deveria ter exigido 1 dia! Mas quê?
Sou assim! Tímida e contida! Custa-me impor fretes!

Mas valeu!
Valeu muito, muito, muito a pena.

As ofertas são  incríveis  e os preços  inacreditáveis.

Comprei duas malas, uma Karl Lagerfeld e outra Versace.





















Esta, com o pormenor  da aba em tecido, é Lagerfeld.

E esta, em azul petróleo é Versace.










Ambas fabulosas!

E ainda fiz um amigo....
O Maurício  na loja do Lagerfeld.

Enquanto eu, de olhos esbugalhados, olhava, suspirava e queria tudo, o Maurício  aproximou-se para ajudar, apresentando-se.
Quando ouvi o nome, nada italiano, estranhei ... Maurício? - questionei, desconfiada. Brasileiro?- interroguei, animada para iniciar ali mesmo uma nova e linda amizade.
- Não!  Sou do Equador, mas vivo há  20 anos em Itália!
Conversámos  em espanhol, ou melhor, em  portunhol e  entendemo-nos à  maravilha.
Que rapaz bonito!
E que bom gosto!
Sabia tudo de moda e  de tendências.
Uma enciclopédia!


Feitas as comprinhas, segui com alma nova para o caos de Génova  onde dormimos num Novotel de muita qualidade, nos arredores da cidade.

Amanhã continuámos pela costa da Ligúria.
Ciao!

Beijo
Nina

domingo, 17 de setembro de 2017

Road Trip, planificações, alterações, imprevistos


Com  mais de 1 mês de antecedência, delineei , o trajecto que, durante duas semanas, faríamos pelas estradas europeias.
Com a ajuda do google maps, a tarefa fica muito facilitada - é só introduzir o ponto de partida e o ponto mais longínquo a alcançar e assim se determina o percurso.
Depois, é fazer os ajustamentos que se quiser, cumprindo ou não o itinerário sugerido.
As etepas são igualmente determinadas segundo o que parece ser menos cansativo , oferecendo ao mesmo tempo , motivos de interesse.
É claro que esta modalidade exige tempo, não sendo possível fazer, por exemplo, uma viagem de 2000 Km numa semana. Isso limitaria as férias ao estado de "motorista".

Portanto, precisamos de tempo.

Delineadas as etapas, gosto de reservar antecipadamente os hotéis, tendo o cuidado de apenas escolher os que permitem o cancelamento da reserva até ao próprio dia da chegada.
Com essa facilidade, conheço a cadeia Accord, com vários níveis (e vários preços ...) de comodidade.
Escolho sempre que possível o IBIS, um hotel confortável, com pequeno almoço e garagem para estacionar. Dentro desta marca existem vários níveis, que variam ligeiramente no preço. O IBIS normal ou o Styles são francamente satisfatórios e encontram-se espalhados por essa Europa fora.


Posto isto, podemos partir.

Decidíramos viajar até Berchtesgaden, no sul da Alemanha,  muito perto de Salzburgo, porque é uma zona lindíssima - provavelmente a mais bonita de toda a Alemanha.

Porém ...

Atravessada a Suiça, entrando na Alemanha por Konstanz, junto ao lago com o mesmo nome, constatámos que o clima nos sabotara.
É que chovia imenso, sendo que as previsões para a  semana seguinte eram de dilúvio.
Impossível, pois continuar para norte!
Cancelados os hotéis, refizemos a rota, rumo a Itália, onde o sol brilhava e assim chegámos a Cremona!



























CREMONA é uma cidade lindíssima, que merece uma visita prolongada, repleta de tesouros, comida maravilhosa, gelados de comer rezando e, claro, muitas comprinhas.
Ficámos 2 dias e partímos com muita vontade de voltar.

Depois, foi marcar um novo hotel e continuar para sul, rumo a Milão.

Seguem -se mais informações!
Voltem!
Voltem se querem novidades e imprescindíveis dicas,

Bom fim de domingo.

Beijo
Nina


quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Cheguei!





Cheguei!
Acabaram definitivamente  as férias  ... quando muito - tenho esperança  ... - um ou outro fim de semana  prolongado,  ainda se poderá  arranjar.

E não  é  que hoje a temperatura desceu abruptamente? 
Deve ser coisa dos deuses que assim agem para que nos compenetremos da realidade:
O Outono espreita.
Adeus banhos de mar ou piscina, adeus dias sem relógio,  adeus sol e pôr do sol tropical, adeus dourado  lindo na pele que já  ameaça  desaparecer.
Adeus!

Foi bom, mas é  igualmente  bom regressar, retomar rotinas - acho que as rotinas transmitem  forte sensação de segurança,  banindo imprevistos  que sempre exigem esforço de adaptação. 
Gosto, sempre gostei dos regressos, do fechar de ciclos, do eterno recomeçar. 

Repetindo-me, dei por mim com uma premente lista de afazeres e de caras a enfrentei - pelo que, a manhã  rendeu, produtiva.

Dei por mim observando, agradada, as pessoas, muitas já  em velocidade cruzeiro, adaptadas às  exigências  que enquadram a vida  em sociedade.

Dei por mim admirando gente bem vestida, cuidada, com cabelo arranjado e sapatos nos pés.  Nada de chinelo, nada de havaianas. Sapatos a sério, ou mules ou sandálias,  em pés  cuidados.

Dei por  mim a gostar.

Retive o olhar  numa jovem de jeans, camisa branca, colar de pérolas e sapatos dourados.
E, ainda uma outra de vestido estampado ainda em tons de Verão.
 Nada de especial, dirão. 

Concordo, nada de especial!
Mas depois de semanas em "modo" férias, apazigua o (meu) olhar, a imagem do retorno à civilização.


Hoje, o dia amanheceu frio, com cara de Outono.
Gostei!




Gostei da necessidade/conforto de um blusão em couro
 - nem de mais nem de menos, assim um quase abrigo ...


... que não vestia desde há um ano.




Completei com saia de pregas bem comprida e mules na mesma cor ...


Não é que considere a escolha o supra sumo da elegância ou da originalidade, que não era, mas soube-me a recomeço,  soube-me a reinicio de ciclo, soube-me ao eterno renovar.

Assim regresso.
Cheia de vontade de da vida tirar o melhor que ela tenha para oferecer.
A quem me lê desejo exatamente o mesmo:

-Feliz recomeço!

Beijo
Nina


sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Cenas ...



Descobri mais umas "cenas" - como diria a "malta"  - na feira que tanto gabei e louvei, em Sanremo!

Nem é  que precisasse, porque, a bem da verdade, não  preciso de nada,  mas são  novidades, é  uma forma italiana de ver  a roupa  as tais "cenas" - que me fazem pensar e avaliar com entusiasmo de quase adolescente.


Vi tal quantidade e variedade de oferta que precisei de apelar ao bom senso para não  escorregar no turbilhão  da tentação. 
Ainda assim  ...







Este blusão jeans, bordado  com pérolas  e a túnica em renda branca ...
Irresistíveis!









Fez com que perdesse a cabeça  e vieram comigo.
Já vesti o blusão com calças e top brancos e conclui que, de vez em quando, é  sinal de grande sanidade mental "perder a cabeça " com "cenas" destas.


Beijo
Nins

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Figos



Hoje fui abençoada com esta prenda :




Uma caixa de figos acabadinhos de ser arrancados da figueira - antes que os pássaros  os comam - explicou o amigo que mos ofereceu.
- Obrigada, muito obrigada, repeti, enquanto, imediatamente provava o primeiro e o segundo.
Pequeninos e deliciosos.



Tenho algumas receitas que exigem figos, mas nunca, nunca as faço  ... porque ... os como antes, sem paciência  para esperar, vitima de enorme gula que não  consigo  nem quero controlar.
Como a matéria prima  e, já  se sabe  não  se  fazem  omeletas sem  ovos. Comidos os figos, nenhuma possibilidade de concretizar receitas que os requerem.

Gosto particularmente  da salada de figos com presunto, da compota que se come com queijo e da tarte em que entram igualmente amêndoas, tudo receitas fantásticas  - que, como o nome indica exigem figos, os tais  figos a que não  resisto, com que vergonhosamente, descaradamente  me empanturro.

Aliás,  atrevo-me a questionar que tenha sido a maçã  quem provocou a expulsão  de Adão  e Eva do paraíso  ....

Nã ... para mim foram os figos!
Os figos é  que os condenaram, nunca uma insípida  maçã  (ainda que da sabedoria)
Por mim, sei, com uma sabedoria  de experiência  feita, que seria igualmente  e sumariamente  expulsa!
Sem arrependimento ... de barriga cheia!
Nada a fazer.  Sou verdadeiramente um caso perdido.
Não  lhes resisto!

Beijo
Nina

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Feiras




Lá  vou eu repetir-me:
- Adoro feiras! Feiras de rua, entenda-se. Daquelas que se realizam apenas uma vez por semana,
Dessas!
Dessas é  que eu gosto!

Por cá,  sou fã  incondicional da de Vila Nova de Cerveira, onde me sinto como peixe na água,  conhecendo os vendedores - na verdade, a alguns, cumprimento  mesmo com a intimidade do beijo na bochecha ... -  sei de cor os percursos, os truques para descobrir (ou encomendar) artigos que trago debaixo de olho, criei cumplicidades e até  intimidades que muito prezo.
Repito, estou em casa, sou um deles e no alarido da feira, movimento-me feita enguia, fintando multidões, no meu habitat.

É  quanto basta para me fazer feliz, para transformar o sábado no melhor dia da 
semana .

Existem, porém,  outros degraus a subir, upgrades que escancaram portas às  pecadoras consumistas - que, como é publicamente sabido, se me cola como segunda pele!

Onde?
Oú?
Where?
Wo?


Em Itália,  amores da minha alma!

Em Itália situam-se os paraísos das feiras semanais!
Mesmo!
Dois espaços domino, a bem dizer, de olhos fechados.

São  eles:

Sanremo
e
Bordiguera

Lá  perto da fronteira com França! 

O primeiro ao sábado e o segundo à quarta, sempre de manhã. 

Se procuram fruta, verduras, queijos ou bolos, vão ao supermercado, ok?

Ali impera a futilidade no seu estado puro.
Roupa, roupa e mais roupa. Toda ela fantástica,  modernaça, plena de estilo - o supra sumo  do bom gosto.
Em qualquer estação,  de Verão ou de Inverno está  lá  tudo.

Sapatos, botas, sandálias,  também! 
Malas e carteiras,nem se fala.
E todos, mas todos os acessórios que se possam em sonhos imaginar.

Desta vez estive em Sanremo. Foi um delirio!






Ainda no hotel experimentei este vestido/túnica  (?).
Gostei. Muito, muito!




Tudo é  comprado a olho, com fé,  com muita fé!
Pois se é  tamanho único,  as probabilidades de acertar são  grandes!



Depois existe sempre a remota possibilidade da transformação em camisa de dormir!




Que não foi, nem por sombras o caso!
Já  sai para jantar, feita italiana - oh! mulheres de insuperável bom gosto, lindas e espertas, pois com um trapinho de feira fazem um figurão!

Esta uma amostra, porque, evidentemente que comprei mais, muiiiiiito mais.

Bom fim de semana.

Beijo
Nina

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Velharias



Nas minhas andanças  pelas estradas da Europa  durante o Verão ,  as chamadas Road Trips - tenho aprendido muito, no sentido de tornar as etapas confortáveis,  o que passa, obrigatoriamente,  por recusar distâncias  excessivamente  longas ou excessivamente demoradas.

Às  vezes, planeia-se uma etapa que se realizaria em 2 horas e acaba-se por verificar que ela se multiplica por 5 -cinco, foi mesmo o que dissse- devido sos engarrafamentos, os terriveis bouchons ou traffic jam, tudo o mesmo, tudo um suplicio.

Há  truques, opções  que ajudam, embora nada seja garantido.

Assim, em principio,  o fim de semana é  mau. Muito movimento, muita fila, muito engarrafamento.
Melhor, portanto, evitar percorrer estrada ao fim de semana.

Como alternativa,  será  escolher uma cidade e por lá  permanecer.

Só  que ...
Ao domingos as cidades estão  mortas, descaracterizadas, sem vida - na minha opinião .

Descobri,  entretanto,  algo que as torna muito interessantes:

- São os mercados de velharias, as feiras e feirinhas que frequentemente  se realizam ao domingo ,  para minha delicia :






Aqui exemplos de achados, de relíquias  ...



Encontro sempre um sitio,  aqui em casa, onde os encaixo, para regalo dos meus olhos.



1 euro!


1 euro!
Esta molheira veio do serviço de porcelana de um barco - diz no fundo.
Seria do Titanic?



Coleciono caixinhas em porcelana. A dizer a verdade, junto! Não  tenho o rigor de colecionadora, mas não  interessa  sempre que encontro uma que agrade, compro.
Assim acumulei algumas, poucas, mas o conjunto crescerá. 




Esta concha quase sem brilho, sugere histórias,  enredos, prenda de casamento, herança  que ninguém  quis...


Sempre me tento, sempre descubro tesouros, pechinchas, maravilhas  - são  as tais caixinhas em porcelana, cestinhas e jarras metálicas,  bules, molheiras, açucareiros ... tanta coisa.
Ah! Também  me encantam as peças  de enxoval, os lençóis  bordados a branco, os guardanapos, as toalhas ...


Depois, chegada a casa, é  um gosto!
Desembrulhar (vem normalmente protegido e embrulhado em folhas de jornal), lavar e decidir onde os colocar.

No fundo - admito - sou uma acumuladora!
E não  vou nem quero mudar.


Beijo
Nina